Plano Diretor de Manutenção Classe Mundial

Sem um Plano Diretor de Manutenção formalizado e em uso diário, a única certeza que se tem é a da instabilidade nos resultados.
Qualificar e formalizar um Plano Diretor de Manutenção, significa traçar o plano de viagem para que a manutenção alcance o destino que a empresa necessita.

PMCC - Confiabilidade

Uma forma sadia de se rejuvenescer a manutenção é fazer com que os envolvidos se tornem comprometidos com um Plano Diretor, por terem participado de sua elaboração. Isso gera boa identidade das pessoas para com o Plano.

O primeiro passo é ter contato com a realidade atual da manutenção, tendo como parâmetros de comparação, as melhores práticas de uma Manutenção Classe Mundial. Um grupo de Líderes, Engenheiros e Técnicos é constituído para fazer a Auto Avaliação da Manutenção. São essas mesmas pessoas que irão executar o Plano, através de aplicação diária das melhores práticas.

Conduzida por profissionais seniores da Engefaz em conjunto com um grupo de Líderes, Engenheiros e Técnicos, profissionais do cliente, a Auto Avaliação da Manutenção é realizada. As pessoas que fazem a Auto Avaliação são as mesmas que irão executar o Plano, através de aplicação diária das melhores práticas. Para os itens relevantes são identificados a perda, o custo e o potencial de ganho, formando assim um primeiro esboço dos Fatores Críticos de Sucesso do Plano Diretor. Com a Auto Avaliação e o potencial de ganho dos itens relevantes, se definem as prioridades para as "Ações do Plano Diretor", que devem conter: o que, por que, como e quando fazer; ganho envolvido; comprometidos (quem lidera, quem participa, quem executa); cliente a ser atendido; atividade planejada e executada; indicadores de controle e de resultado; auditoria e "status" do andamento (velocidade e qualidade).

A autoavaliação é organizada em 6 blocos, 21 processos, e contém 152 itens:

  • Gestão Organizacional;
  • Gestão de Infraestrutura
  • Gestão da Rotina
  • Gestão de Melhoria
  • Gestão de Parada
  • Estratégia e Diretrizes da Empresa.

Plano Diretor

Após a Auto Avaliação, a Engefaz pode também assessorar o cliente na implantação das ações do Plano Diretor de Manutenção Classe Mundial. Nem sempre a liderança atual do cliente está preparada para conduzir com sucesso, as ações organizadas pelo Plano Diretor.

Este momento é uma oportunidade ímpar para pôr em prática, um estilo de gestão mais eficiente e eficaz, que caminhe para a Auto-gestão da manutenção

Objetivo: gerar e manter bons resultados de manutenção, através da capacitação prática dos líderes de manutenção, gerentes, coordenadores, supervisores, engenheiros e técnicos, para que possam conduzir as atividades do Plano Diretor de Manutenção revisado.

O desenvolvimento é focado em obter resultados através da autogestão das pessoas (baixa dependência de comando para executar bem as suas tarefas e entregar os resultados compromissados), bem como aplicar o conceito de OEE (Overall Effectiveness Equipment) em uma área piloto, de modo a substituir o sistema de “empurrar a equipe”, o qual não obtém a produtividade que a empresa precisa, e passar para o sistema de "puxar a equipe", o qual gera de forma contínua bons resultados, quantitativos e qualitativos, formalizados no sistema oficial da empresa via OEE. O sistema OEE é baseado no controle de perdas e custos, permite priorizar a redução de perdas e custos, onde os ganhos são obtidos pela sinergia dos times formados para tal.

Uma vez revisado o Plano Diretor de Manutenção, entendemos que a implantação prática do mesmo não é algo simples de se fazer, no que diz respeito à velocidade e à qualidade que a Empresa necessita.

Como resultado da auto avaliação normalmente se obtém a adesão dos técnicos e engenheiros, responsáveis por alavancar toda parte técnica do projeto, tais como rever a Classificação A – B - C dos equipamentos, revisar os Planos de Manutenção e Inspeção, revisar o cadastro de equipamentos e o dossiê técnico, revitalizar a inspeção preditiva e a inspeção convencional, reestruturar a estratégia de recursos humanos aplicados à manutenção, aquisição de instrumentos – softwares e acessórios necessários à inspeção preditiva própria, etc.

É inequívoco o avanço qualitativo que normalmente se obtém neste período. No entanto, olhando para o futuro e para as necessidades da Empresa, é oportuno rever a estratégia e condução pela liderança neste tipo de projeto. Por liderança entenda-se toda a liderança, desde a Gerência até os níveis técnicos que lideram alguma atividade.

É oportuno redesenhar a estratégia para se construir dia a dia, uma percepção da entrega compromissada, que nos leve à Autogestão e com bons resultados estáveis.