Metodologia Engefaz de Aprendizado


Metodologia: Para o desenvolvimento dos Aprendizados, a Engefaz propõe uma metodologia de aprendizado que foca a pessoa e não o instrutor, numa proposta de trabalho que valoriza a prática e a troca de experiência entre os participantes.

A Metodologia Engefaz é composta por:

50% de Prática – centrado no objetivo de cada aprendizado, desenvolve-se trabalhos práticos orientados à realidade do dia-a-dia das pessoas, ou seja, em pelo menos 50% do tempo aprende-se praticando dentro da vivência profissional da pessoa.

25% de Troca de Experiência – o instrutor deve criar um clima que facilite e estimule a troca de experiências entre os participantes, assim consegue-se fazer com que a aquisição de conhecimento não fique limitado ao programa proposto como também ao Know-How de cada um.

15% de Teoria – conteúdo teórico colocado pelo instrutor para o desenvolvimento das pessoas. Nos dois momentos anteriores o instrutor aparece apenas como facilitador, e agora como orientador, apresentando metodologias e ferramentas para o aprendizado.

10% de Ócio Criativo – o ócio criativo é o momento de descontração produtiva, ou seja, durante o trabalho criam-se lacunas de descontração que permitam as pessoas desenvolverem seu lado criativo. Estimulado por esta vertente, ele pode criar novas formas de desenvolvimento pessoal e profissional.

1ª Etapa - Pré-Aprendizado


O Pré-Aprendizado visa estabelecer afinidade e comprometimento das pessoas que irão participar do trabalho como também mensurar o quanto à empresa cliente irá ganhar com a realização deste, através de elaboração de potenciais de ganhos e dividem-se em subetapas:

1. Subetapa - Mapeamento de Habilidades

Esta ferramenta proporciona ao instrutor conhecer o perfil técnico e pessoal das pessoas que participam do aprendizado. Ela é construída a partir de um questionário, baseado no conteúdo do programa, onde se faz um mapeamento do perfil técnico das pessoas, buscando mensurar qual o nível das pessoas em relação à proposta do programa. Neste trabalho também levantamos o tempo de casa, a experiência profissional da pessoa, área de trabalho, cargo e expectativas com relação ao aprendizado.

Este material nos proporcionará:

a. Alinhar o aprendizado à realidade do perfil técnico e pessoal da equipe.
b. Criar um referencial para medir a retenção do aprendizado do grupo, uma vez que, no final do processo, será proposto um outro questionário às pessoas com o mesmo conteúdo do Mapeamento de Habilidades, e assim teremos uma leitura do nível de evolução do conhecimento e de retenção do aprendizado das pessoas, ou seja, como o grupo estava antes do aprendizado e como estará depois.


2. Subetapa - Estímulo


Solicitar que as pessoas levem ao aprendizado um objeto, pré-determinado pelo instrutor, que represente a ideia central do mesmo. Tem como objetivo instigar as pessoas com relação ao aprendizado, fazendo com que eles o vivam mesmo antes que ele aconteça, despertando o interesse na participação.
Outro objetivo deste trabalho é que este objeto seja utilizado como metáfora em alusão aos conteúdos desenvolvidos durante o aprendizado, atuando assim como âncora destes conteúdos no dia a dia da pessoa.

2ª Etapa- Aprendizado

O Aprendizado é o momento de trabalho propriamente dito e é realizado dentro da metodologia Engefaz de 50% de prática, 25% de troca de experiência, 15% de teoria e 10% de ócio criativo.
No início do aprendizado é feito um “contrato de expectativas”. O grupo levanta quais são a suas expectativas no tocante ao conteúdo programático, ao grupo e ao instrutor. Neste momento, caso haja distorções, o instrutor deve alinhar as expectativas do grupo em relação à programação real de trabalho estabelecida, minimizando eventuais frustrações para com o aprendizado, as pessoas sabem o que irão efetivamente vivenciar. No final do aprendizado o instrutor verifica se todos os itens levantados no “contrato” foram trabalhados, caso algum item não tenha sido contemplado, através de consenso (grupo e instrutor), decide-se como será trabalhado este passivo.
O desenvolvimento do aprendizado procura privilegiar as vias de comunicação das pessoas, trabalhando os sinestésicos, visuais, auditivos e auditivos digitais através de filmes, músicas, dinâmicas vivencias e trabalhos práticos.
Ao fim desta etapa é realizada uma avaliação de reação, onde as pessoas podem avaliar o conteúdo programático e o instrutor.


3ª Etapa - Pós-Aprendizado


Trabalhos de retenção de aprendizado individual com:
- 03 dias pós-aprendizado – levar algo de novo, desenvolvido no aprendizado, para a área de trabalho.
- 07 dias pós-aprendizado – um trabalho de pequena intensidade baseado no aprendizado.
- 15 dias pós-aprendizado – um trabalho de média intensidade baseado no aprendizado.
- 30 dias pós-aprendizado – trabalho de alta intensidade baseado nos trabalhos práticos e conceituais desenvolvidos no aprendizado.
- 90 dias - uma avaliação final, reedição do mapeamento de habilidades para mensurar o nível de retenção do aprendizado do grupo.

Metodologia Aprendizado Engefaz

 

Confira nosso calendário de treinamentos clicando aqui.